Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Uncategorized’ Category

AMIGOS, O BLOG TÁ DE CARA NOVA, ENDEREÇO NOVO, MAS COM O MESMO CONTEÚDO. OU MELHOR, TENTANDO MELHORAR CADA VEZ MAIS! NOS VEMOS POR LÁ…

 http://entretenimento.r7.com/blogs/enodeco/

Read Full Post »

Recebi esta indicação de cinho do amigo blogueiro Gustavo Jota, do blog “Bebideira“. Uma sugetsão boa para estes dias de calor que começam a nos assolar… Gustavo, obrigado pela dica!

Disse ele:

“Vinho branco seco italiano de donominação de origem controlada, DOC, Frascati da região de Lazio, como cita no rótulo, na Via Romana. Excelente vinho para acompanhar um Lombinho de Porco. Servir em torno de 12oC, caiu muito bem como uma alternativa em uma noite quente de primavera. Sabor suave, baixo álcool residual, fundo de maçãs verdes e madeiras. Comprado no supermercado Angeloni da Beira Mar de Florianópolis. R$ 29,90 a garrafa.”

Independentemente do produtor, pode-se dizer que os Frascatis são realmente ótimas opções para o calor. Estes vinhos brancos, oriundos da região do Lazio, onde fica a capital Roma, são feitos com variedades locais como a Malvasia e a Trebbiano. São vinhos secos, alguns levemente frisantes e geralmente herbáceos e refrescantes. Os preços são também convidativos e não costumam ser elevados. Vale  a aposta!

CHEERS!!

Read Full Post »

E hoje foi o terceiro e último dia do módulo intermediário do WSet. Um dia intenso, nem tanto de degustações, mas de sensações, afinal, começamos o dia falando e degustando deliciosos espumantes: Prosecco, Cava, Espumante do Napa e por fim, uma Champanhe Perrier Jouet Grand Brut. Foi uma aula deliciosa, pois ainda terminamos com o assunto dos vinhos doces. Uma aula realmente memorável, que teve como gran finalle a degustação de um Vin Santo – sem o famoso cantucci pra acompanhar 😦 – e um Sauternes maravilhoso.

Depois, passamos pelos vinhos fortificados, degustando um Jerez Fino e um Porto Fonseca LBV 2003.  E para terminar, a parte mais temida por mim e pude ver que pela grande maioria que lá estava, os “Spirits”, ou destilados. Sinceramente não é o meu forte. Pelo contrário: Não sou nada fã de destilados, mas como faz parte do curso e fará parte do próximo, vamos em frente e aprender, já que degustar continua sendo um problema pra mim. Passamos pelo processo de destilação e os principais países e tipos de destilados, culminando com uma degustação de Gin, Rum, Cognac (pra mim o melhorzinho de todos estes e é feito com uvas também!) e um whisky single malte escocês de 15 anos. Sei que os amigos que gostam desta bebida devem estar falando que eu bebi um belíssimo whisky, mas não é a minha…

E depois, A PROVA! 50 questões sobre todos os assuntos e até mesmo assuntos que não foram tratados nas aulas, mas que estavam no livro e poderiam cair, afinal, neste curso intensivo, não dá tempo de passar por tudo nas aulas. Acho que fui bem. Esperava ir melhor e passar com poucos erros, mas a prova estava, como todos comentaram depois, cheia de pegadinhas e de coisas que só estavam no livro. Agora é esperar “apenas” 4 a 8 semanas para saber o resultado, pois elas vão para Londres serem corrigidas e só então ficarei sabendo como fui. Haja ansiedade.

Agora é descansar no final de semana, aproveitar a vinda de um querido casal de amigos aqui para relaxar a cabeça e curtir a cidade, pois na segunda começa a pauleira novamente. Desta vez mais intensa, com conteúdo ainda mais profundo, cheio de detalhes e que me fará suar bastante para passar na prova, que terá degustação às cegas como parte do exame… aaaiiii! Mas se o intuito é aprender, vamo que vamo!!

E como curiosidade, os números finais do curso: 41 vinhos degustados + 4 espumantes + 4 destilados = 49 diferentes bebidas degustadas em 3 dias!

CHEERS!!

Read Full Post »

Amigos,

Alguns já sabem e por isto não estranharam o meu desaparecimento por 3 dias, fato que não costuma ser normal. Estou em Nova York fazendo os módulos Intermediário e Avançado da Wine & Spirits Education Trust (WSet) e apesar de querer postar para vcs o dia-a-dia do curso, estou tendo alguns problemas de conexão que não estão me deixando acessar a internet toda hora, além de ficar das 09:00 às 17:30 fechado no curso.

Assim que as coisas se normalizarem e eu conseguir ter acesso fácil, vou contar os detalhes e curisidades do curso, além de outras coisas que possam pintar pelo caminho. Bom vinho a todos, e como sempre,

CHEERS!!

Read Full Post »

Atenção amantes do vinho e da sopa! Aliás, será que existem os “sopófilos”? De qualquer forma, eu sou um grande apreciador de sopas por sinal… Este ano será realizada a primeira edição do Winter Festival, que acontece em 22 restaurantes da cidade de São Paulo. O festival começa  amanhã, 23.07 até o dia 1º agosto.

O evento funciona da seguinte forma: Funciona tanto no almoço quanto no jantar, em bons restaurantes como Chácara Santa Cecília, Gabriel, Abruzzi, Tantra, Sweet Pimenta e P.J. Clarke’s. Uma coisa legal é que as sopas não são sopas comuns. Elas são especialmente criadas pelos chefs das casas apenas para a ocasião. São “sopas de edição limitada”.

Outro diferencial do festival é que o preço é fixo e exatamente o mesmo para todos os restaurantes: R$ 24,00 pela sopa e uma taça de vinho, que será harmonizada com a sopa em questão. E ainda seguindo conceito dos “Pratos da Boa Lembrança” o cliente ainda ganha uma uma tigela assinada pela estilista Isabela Capeto.

Podemos até falar grosseiramente que este Festival seria uma mistura do “Restaurant Week” com a “Associação dos Pratos da Boa Lembrança”…

Acho que vale experimentar!

 

 

CHEERS!!

Read Full Post »

Inverno: Tempo de vinhos, queijos, queijos, vinhos, vinhos e queijos, não é? Então, eis que no final de semana passado saí com um casal querido de amigos para aproveitar o frio e comer um bom fondue. Apesar de estar um pouco líquido demais, o sabor estava muito bom! Para acompanhar, bebemos um belíssimo Felipe Rutini 2001, que estava sensacional! Este vinho é um excelente corte argentino de algumas uvas, com predomínio de Cabernet Sauvignon. E a parcela das outras uvas varia de acordo com o ano.

Alguém notou alguma coisa de estranha no parágrafo acima? Tenho certeza que a maioria não. Mas se levarmos ao pé da letra a “cartilha” de harmonização, há um erro. Pela teoria, a perfeita harmonização de um fondue é com vinhos brancos e no máximo com um tinto leve como um Pinot Noir. Isto porque os fondues, em sua maioria feitos de ementhal e gruyère, são pratos que pedem um vinho mais leve para que eles não sejam “atropelados” pelos tintos encorpados. Mas temos que escolher vinhos, acima de tudo com boa acidez, pois corre-se o risco do efeito contrário e aí o queijo, que é gorduroso, “atropela” o vinho muito delicado sem acidez.

Aliás, quando geralmente falamos que vamos fazer uns “queijos e vinhos” para receber os amigos em casa, normalmente abrimos vinhos tintos, não é? E esta situação segue o mesmo princípio do fondue. Para a maioria dos queijos, o correto pela teoria é harmonizar com vinhos leves como os brancos, os rosés ou no máximo um tinto leve (Pinot Noir, Merlot, Sangiovese, sem muita estrutura e mais frutados e jovens). Mas há exceções: Queijos azuis como roquefort e gorgonzola, por exemplo, são bem harmonizados com vinhos doces, tipo Sauternes ou Late Harvest ou melhor ainda, com Portos.

Mas, como sempre digo aqui, as regras são importantes para nos balizarem e não fazermos nada de muito absurdo. E isto vale para os vinhos também, afinal não adianta você abrir um belíssimo Borgonha, que é um vinho delicado, para acompanhar um churrasco ou um cordeiro. O vinho vai sumir! Mas regras não existem para nos engessarem, principalmente no mundo dos vinhos e da gastronomia. Neste caso prefiro dizer que a principal regra a ser seguida é a do BOM SENSO E BOM GOSTO! E seguindo-a, o BOM SENSO nos diz para abrirmos o vinho que quisermos com o prato que quisermos e o BOM GOSTO nos evitará cometermos algum assassinato eno-gastronomico. Ah, e é claro, sempre com BONS VINHOS!

CHEERS!!

Read Full Post »

A Organização Internacional do Vinho (OIV) publico em seu site os números do mundo do vinho em 2009. Em linhas gerais, o consumo mundial de vinho caiu 3,6%, quando foram consumidos 236,5 milhões de hectolitros. Outro indicador que caiu foi o de exportações. Com 3,86% a menos que 2008. Mas chega de números negativos. O aumento na produção mundial de vinho registrou 268,6 milhões de hectolitros em 2009, 1,1 % a mais que no ano anterior.

Um número que muita gente aguarda, que é o do maior país produtor desta vez não surpreendeu. A Itália continua em primeiro lugar, com 17,7% do total mundial, seguida da França (17%) e Espanha (13,1%). Outros países que estão abaixo dos 10% são Estados Unidos (7,7%), Argentina (4,5%), China (4,5%), Austrália (4,3%), Chile (3,7%), África do Sul (3,6%) e Alemanha (3,4%). Novamente, assim como no ano passado, o curioso fica por conta de Portugal, que não aparece entre os 10 primeiros colocados. Sim, sabemos que a área territorial deste país não ajuda, pois ele é pequeno em relação aos outros, mas com tamanha tradição vitivinícola, é difícil não o ver neste ranking, né?

Espanha, França e Itália continuam, nesta ordem como as maiores regiões plantadas de uva. Alemanha, Inglaterra e Estados unidos também nesta ordem são os maiores importadores de vinho e Itália, Espanha e França são os maiores exportadores, nesta ordem.

E por último, os campeões de consumo. Não poderia ser de outro país que não a França o primeiro lugar, com 29.900 milhões de hectolitros, seguida de perto pelos Estados Unidos (27.250) e Itália (24.500). O destaque aqui vai para a Alemanha que está em quarto lugar à frente de China, Inglaterra e Espanha, grandes consumidores de vinho.

Ainda não vemos nosso Brasil nestas listas, mas quem sabe num futuro próximo começamos a aparecer e ir crescendo aos poucos. Provas não faltam…

CHEERS!!

Read Full Post »

Older Posts »